Ir para o conteúdo

Prefeitura de Mato Verde / MG e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura de Mato Verde / MG
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Rede Social Youtube
Serviços
Cidade

ATA DA SESSÃO SOLENE DE INSTALAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MATO VERDE

O povoado de Santo Antônio da Rapadura foi fundado em 1º de janeiro de 1873, por coordenação do bispo da diocese de Diamantina, Dom João Antônio dos Santos (hoje nome de uma rua no bairro São Bento na cidade). O município, com o nome de Mato Verde, foi criado pela lei nº 1.039, de 12 de dezembro de 1953 e instalado no dia 1º de janeiro de 1954, tendo como Intendente Municipal o Senhor Ismael de Souza Almeida, e em 1º de Janeiro de 1955, foram empossados o 1º Prefeito Waldir Silveira e o Vice Prefeito Hermínio Fernandes Silveira.

O aniversário de emancipação política do Município comemora-se no dia 12 de Dezembro.

O município está localizado no Norte de Minas Gerais, a 550 metros de altitude, no polígono das secas (semi – árido mineiro), região da Serra Geral. . Em 2022, o número de eleitores é de 10.661, de uma população total de 12.684 habitantes, segundo dados do IBGE.

Dados históricos de Mato Verde
O núcleo, em torno do qual se localiza a sede do município, iniciou-se por inspiração do Bispo Dom João Antônio dos Santos, por volta de 1872. Estando na região em missão pastoral, aquele prelado sugeriu aos moradores, que viviam em propriedades isoladas, a criação de um povoado, sob a justificativa de que, morando próximos uns dos outros, seria mais fácil a solução de problemas comuns. Realizou-se, então, uma reunião dos principais proprietários, dos quais a tradição guardou os nomes dos mais destacados: Raimundo Barbosa de Souza, Felipe José Barbosa, Daniel José da Silveira, Florentino José da Silveira, Manoel José Bittencourt e Felicíssimo Dias Correia, além do padre José Patrício da Silveira, primeiro dirigente da Paróquia de Santo Antônio da Rapadura, recém criada.
Antes da formação do povoado, a partir das primeiras décadas do século XVIII, já havia sido iniciada a ocupação da região: muitos dos exploradores, vindos de Salvador com Antônio Guedes de Brito, o Conde da Ponte, incumbido pelo Governo Geral do Brasil de ocupar toda a região do Vale do São Francisco, fixaram residência por aqui e começaram o trabalho de colonização. E no fim do século XVIII, ou início do século XIX, estabeleceram-se na região de São João do Bonito, João José da Silveira e alguns companheiros que, após terem participado da Inconfidência Mineira, ali chegaram, fugidos da perseguição movida contra os inconfidentes.
Em 1876, assume a Paróquia de Boa Vista do Tremedal e da freguesia de Mato Verde, o Padre José Patrício da Silveira, ficando até 1880, vindo a falecer em 05/11/1909.
Em 04/08/1881 foi criada a Paróquia de Santo Antônio da Rapadura, ligada à Diocese de Diamantina.
Em 08/04/1883, falece o fazendeiro e par do reino, Manoel Bittencourt de Souza, grande possuidor de terras na região hoje conhecida com Barreiro, e escravos, foi vereador, juiz de paz, delegado de instrução e jurado.
Em 27/01/1884, foram realizadas eleições para diretoria do Partido Conservador da freguesia de Mato Verde, Município de Boa Vista do Tremedal (Monte Azul), foram eleitos os seguintes: José Antônio de Souza e Silva, Presidente,  forão eleitos 1º vice presidente, o cidadão Raymundo Barbosa de Souza, 2º vice presidente o dito cidadão Salvador Cardoso de Faria, thesoureiro o cidadão Quintino dos Santos Barbosa, 1º Secretário , o cidadão Felippe José Barbosa, 2º secretário dito cidadão José Barbosa de Sousa Primo, e conselheiros os seguintes senhores: Paulo Custódio Jorge, Domingos dos Santos Barbosa, Verciano José da Cruz, Boaventura Gomes Negrão, Joaquim de Sales Pinto, Romoaldo Serapião Ribeiro, Zeferino Custódio Jorge, Espiridião Dias Correa, Francisco Luiz de Campos, Prudenciano Barbosa de Sousa, Possidônio Gonçalves Dias e Justiniano Antunes de Sousa
Em julho de 1884, foi nomeado coletor da Comarca de Grão Mogol, o Sr. Elias Francisco Mendes, que era responsável por toda a região de Mato Verde, Monte Azul e Espinosa. No mesmo mês foi designado juiz de paz da freguesia de Mato Verde o Sr. Verciano José da Cruz.
Em 10/07/1884, foi criado o distrito fazendo de Santo Antônio de Mato Verde, fazendo parte do município de Boa Vista do Tremedal. E em 12/12/1953, através da Lei Estadual nº 1.039, veio a emancipação política.
Na reunião ordinária do dia 10/07/1886 da Assembléia Provincial de Minas Gerais, a pedido do Deputado Ramiro Marins, foi aprovado a transferência da Comarca de Grão Mogol para Rio Pardo de Minas. (O Município de Boa Vista do Tremedal – Monte Azul e a freguesia de Mato Verde, pertencia, a Grão Mogol).
No dia 04/09/1886, foram eleitos juízes de paz da freguesia de Mato Verde os senhores: José Antônio de Souza e Silva, Capitão Possidônio José da Silveira, Felippe José Barbosa, Guilherme José da Silveira, Romualdo Serapião Ribeiro, Florentino José de Sá, Raymundo Barbosa de Souza e Nicolao da Matta e Silva.
Em 02/07/1888, a Assembléia Provincial de Minas Gerais, aprovou a Lei nº158, transferiu a Sede do Município de Boa Vista do Tremedal (Monte Azul), e a freguesia de Mato Verde, para o Município de Lençóis (atualmente Espinosa).
Em 12/12/1953, através da Lei Estadual nº 1.039, veio a emancipação política.
Na região, de poucas chuvas e clima semi-árido, a vegetação perde normalmente as folhas no período das secas, que vai de abril a outubro. às margens do Rio Viamão, ou "Rio Mato Verde", porém, a vegetação permanecia verde durante aqueles meses. Devido a essas características os moradores passaram a chamar o lugar de Mato Verde, denominação oficializada com a criação do distrito de Santo Antônio do Mato Verde.
Posteriormente, houve um período de grande progresso no município, o período da "febre do algodão", que ocorreu entre 1950 e 1990, quando o "bicudo do algodoeiro" atacou as lavouras, dizimando-as, em razão da falta de condições dos produtores locais de conviverem com a praga.
A população do município atualmente vive principalmente da criação do gado, da produção de leite, do comércio e de pequenas lavouras de subsistência.
Gentílico: matoverdense
Formação Administrativa
 

 

Seta
Versão do Sistema: 3.2.9 - 07/12/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia